-->

Assuntos Externos

A UE é um interveniente global e a proposta do novo orçamento da UE para o período de 2021-2027 prevê um aumento considerável do financiamento para as ações externas, chegando a um total de cerca de 123 mil milhões de euros. Os relatórios do Tribunal neste domínio examinam as despesas em países específicos e analisam questões transversais.

Na qualidade de auditor da UE, o Tribunal também procura contribuir para a resolução dos principais desafios que a UE enfrentará no futuro. A ordem internacional assente em regras está sujeita a uma pressão crescente, e a Europa está a surgir como defensora do multilateralismo cooperativo, dos direitos humanos e dos valores liberais. Muitos peritos preveem que a paisagem geoestratégica do século XXI será moldada por uma rivalidade entre a autocracia e a democracia. Os Estados autoritários procurarão, cada vez mais, minar os princípios fundamentais da democracia, como o Estado de direito e a proteção dos direitos humanos.

O Tribunal terá em conta todos estes fatores, quando proceder à seleção das tarefas de auditoria e à formulação de recomendações para o futuro.