-->

Segurança e Defesa

 

Nos Estados-Membros, a defesa é alvo de um interesse público elevado devido à maior instabilidade da ordem geopolítica e ao aumento de novas ameaças à segurança. Para o período de programação de 2021-2027, a Comissão criou um Fundo Europeu de Defesa para apoiar projetos colaborativos da UE no domínio da defesa, para além dos orçamentos nacionais de defesa dos próprios Estados-Membros.

Na qualidade de auditor da UE, o Tribunal também procura contribuir para a resolução dos principais desafios que a UE enfrentará no futuro. Três décadas após o fim da Guerra Fria, está a surgir um novo tipo de ameaças assimétricas para a segurança num mundo cada vez mais instável. Estas ameaças resultam de grupos terroristas e outros grupos extremistas, de organizações criminosas e de países hostis, mas também de pandemias. Atualmente, a UE não está preparada para enfrentar as possíveis questões de segurança relacionadas com a cibersegurança, a guerra híbrida e o armamento dos meios de comunicação social. Ao mesmo tempo, será mais difícil para a UE e os seus Estados-Membros alcançar acordos multilaterais ou bilaterais e os europeus terão de gerir e financiar a sua própria segurança e defesa.

O Tribunal terá em conta todos estes fatores, quando proceder à seleção das tarefas de auditoria e à formulação de recomendações para o futuro.